Siga-me no Twitter em @vascofurtado

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Xenofobia de Mayara na rede

Talvez nem todos conheçam Mayara Petruso. Eu também não a conhecia (aliás, nem creio poder dizer que a conheço). Logo depois da eleição, no entanto, essa estudante paulista de Direito ganhou seus momentos de notoriedade no Twitter e acabei sendo apresentado às suas idéias (ou pelo menos a algumas delas).

A pobre moça explicitou em seu Twitter sentimentos Xenófobos que, infelizmente, indicam ranços, muitas vezes subconscientes, mas que existem em parte da população brasileira e que afloram em momentos de paixão. Não vou reproduzir o que ela disse, pois não quero alimentar rancores. Acho que o calor da campanha e o tom agressivo dos candidatos potencializaram comentários exagerados em todas as direções e de muitos.  Mesmo daqueles que se esperava uma postura mais serena.

Achei o debate eleitoral no Twitter lamentável.  Nem em dias de clássico de futebol se vê tanta bobagem. Cheio de clichês, slogans preconceituosos, agressões e muita baixaria. Lamento que o Twitter tenha se transformado em um instrumento de debate inócuo. A falta de espaço para argumentações proíbe discussões mais profundas. Elas são marcadas por frases de efeito e as agressões e clichês negativos são os preferidos.

Não me surpreende que Mayara e muitos outros seguidores tenham entrado na linha xenófoba. A moça até que tentou se refazer da tolice. Retirou o Tweet e pediu desculpas, mas já tinha dado o combustível para uns e outros começarem a “discussão”com mais baixaria em todas as direções. Como é jovem, Mayara terá oportunidade para mostrar que seus tweets foram um mero lapso e que não vão influenciar na sua vida. Só tem um problema: ela agora é celebridade! Outra marca relevante da Twitterland: o sucesso explosivo e intempestivo. Se quiser, ela poderá deixar-se explorar pelos meios de comunicação, pelas revistas masculinas, programas de auditório, etc. e etc. Será uma outra Geisy Arruda? Cabe a ela escolher. Mas creio que, se decidir pelo caminho da celebridade, terá muito mais trabalho para mostrar que a xenofobia  não está dentro dela.  

2 comentários:

Leonardo Ayres disse...

http://info.abril.com.br/noticias/internet/oab-processa-jovem-por-racismo-no-twitter-03112010-11.shl

Anônimo disse...

O mais interessante é que ela não é uma pessoa desprovida de conhecimento. Pelo que lí, é uma estudante de Direto.

Concordo com você sobre a baixaria no Twitter. Acho que essa poderosa ferramenta está passando pelo processo de massificação para posteriormente acontecer a natural depuração para qualificar as mensagens. As próprias pessoas vão utilizar melhor o twitter

Luis Eduardo