Siga-me no Twitter em @vascofurtado

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Os Franceses, o Cigarro e a Lei

Vou continuar o texto anterior em que discorri sobre leis que pegam e outras que não para exemplificar como a criatividade de um governo representativo e atuante pode fazer a diferença na implantação de mudanças culturais. Quem conhece a cultura francesa sabe o quanto o hábito de fumar nos restaurantes e, principalmente, nos bares era e ainda é forte. Havia pressões de todas as partes (da comunidade européia, inclusive) para que a sociedade francesa tomasse medidas mais fortes na direção da proibição de fumar. O governo francês teve papel importante nesse processo. Começou uma campanha e abriu uma ampla discussão do quanto fumar desrespeitava o direito dos outros. Estava dado o mote para a mudança cultural. Tratava-se assim de mostrar que, acima do direito individual da escolha de fumar, havia o direito dos outros que não queriam fumar e eram contaminados pelos que fumavam. Propagandas mostravam estudos que explicavam que a fumaça era extremamente danosa a saúde dos que estão próximos de fumantes. A lei quando promulgada encontrou uma sociedade muito mais consciente de que era preciso mudar. Os donos de bares, que eram os maiores opositores das leis repressivas, passaram a perceber que poderiam perder alguns clientes, mas que ganhariam outros que não os freqüentava por não gostar da fumaceira. Nas minhas duas últimas idas a França este ano, percebi que os fumantes estão explorando os ambientes externos dos bares deixando o ambiente interno para os não-fumantes com preconiza a lei. Algumas vezes é interessante perceber mesas de restaurantes com bebidas e aperitivos sem nenhum cliente: estão fumando lá fora e só voltam depois de acabarem. Não deixa de ser interessante passar por ruas na França e encontrar os fumantes nas calçadas. Algo meio deprimente, discriminatório. Abaixo, uma foto de algo muito comum em Paris: fumantes que dão uma tragada em seus cigarettes no exterior dos escritórios.

Um comentário:

lottery numbers disse...

I could give my own opinion with your topic that is not boring for me.