Siga-me no Twitter em @vascofurtado

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

iTunes de Férias

Bem sabemos que a Apple é uma empresa que adora excentricidades. Dizem alguns que isso faz parte de seu marketing. No entanto, deixar um site fora do ar durante o período de feriado é demais. Tivemos um problema com o aplicativo do WikiCrimes e quando fui tentar resolver, ao acessar o iTunes Connect, vejam abaixo o que me apareceu.

Nossos usuários que nos desculpem, mas agora só quando eles voltarem de férias :-(((


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Eye tracking virando realidade


Já escrevi sobre a tecnologia de interface homem-computador chamada eye tracking (rastreamento dos olhos) aqui no blog. Na época, mencionei alguns trabalhos acadêmicos e de pesquisa que avançavam o Estado da Arte no tema.

As soluções comerciais começam a aparecer. Predict Gaze é um exemplo disso. Trata-se de tecnologia que usa aprendizado de máquina para desenvolver algoritmos poderosos e eficientes de reconhecimento de padrão que permitem o reconhecimento exato do lugar para onde a pessoa está olhando. Em especial, Eye Gaze, por ter algoritmos potentes, mas leves de serem rodados, permite desenvolvimento de aplicações para celulares e tablets.

O vídeo abaixo dá um exemplo sobre como se pode diminuir a altura do som de uma música simplesmente com um shhhhhh.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Chame-me, se puder



Não chego a pensar que a privatização do sistema de telefonia ocorrido anos atrás tenha sido prejudicial ao País. Lembro-me de que ter uma linha telefônica era privilégio de poucos e se tratava de um investimento tão valioso como ter um imóvel. Impossível imaginar a inserção brasileira no mundo atual de Internet e telecomunicações globais se não houvesse mudança naquele contexto. Isso não pode nos impedir de questionar o que está errado no modelo atual de telefonia, em especial o da telefonia móvel.

O nível de saturação do sistema chegou a um ponto sem precedentes. Um ponto que só deixa-nos, nós clientes com nossos cada vez mais modernos telefones celulares, a apelar para a chacota e as piadas. Não há mais como suportar o péssimo serviço ofertado pelas  operadoras de telefonia móvel.

Recentemente depois de muito penar com uma operadora peregrinei entre outras só para confirmar o que já sabia. A qualidade do serviço é sofrível em todos os níveis e em todas as operadoras. A péssima qualidade do serviço de transmissão de voz e dados se alia a não menos ruim qualidade do serviço de atendimento aos clientes. Serviços de call center e os de atendimento nas lojas com longas esperas e pouco eficazes são a regra. Cheguei a passar pela absurda situação de nem conseguir me inscrever numa operadora a qual já era cliente de telefonia fixa. Faltavam dados cadastrais, disseram-me. Não entrei onde já estava dentro. Só rindo mesmo.

Transmissão de voz e dados é cada vez mais crucial no cotidiano de nossas vidas e tornou-se estratégico para o desenvolvimento de um País. Alie-se a isso a explosão da demanda impulsionada pelo maior poder aquisitivo do brasileiro. Essa combinação torna impossível tratar o tema como sendo exclusivamente de interesses privados. No momento atual, somente a concorrência, que deveria ser a mola mestra para melhorar a prestação dos serviços, não parece conseguir produzir a resposta que os clientes requerem.

A fragilidade dos serviços prestados expõe igualmente as deficiências do Estado no seu papel de regulador, fiscalizador e indutor. A despeito dos esforços demostrados pela ANATEL com algumas ações pontuais de punição às operadoras como foi o caso com a TIM recentemente, não me parece que ela tenha sido capaz de provocar muitas mudanças no que está posto. Algo mais tem que ser feito urgente.  A situação atual é uma grande piada, mas de mau gosto.

* artigo publicado na coluna Opinião do Jornal O Povo de hoje

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

RIP Dave Brubeck

Morreu hoje, aos 91 anos, o músico americano Dave Brubeck, um dos maiores expoentes do jazz de todos os tempos. Brubeck e seu quarteto fez grandes clássicos do jazz como "In Your Own Sweet Way"e "The Duke", mas foi com "Take Five" que bateu recordes. A composição é do saxofonista Paul Desmond outro gigante do Jazz, que na época tocava no Dave Brubeck Quartet.

Acho que "Take Five" é a música de jazz mais regravada, remixada e com remakes  que existiu. O blog Mashable elencou alguns dessas gravações aqui. Sou fã da versão original, mas a que considero imbatível foi gravada pelo, não menos genial, Grover Washington Jr. o qual batizou sua versão de "Take Antoher Five".

 Rest in Peace Brubeck! Take a Five, no entanto, vai nos embalar para sempre.

Abaixo, publico do You Tube as duas versões. A primeira com Brubeck e a segunda com Grover Washington em seu habitual estilo Smooth Jazz.





segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Como não consegui entrar na Oi


Havia escrito sobre os dissabores que tive com a TIM no post passado. Ao tentar portar minha linha para a OI, tive mais surpresas negativas. A Oi foi minha opção pelo fato de já possuir uma linha fixa nessa operadora. Pensei então que seria mais simples migrar tudo para lá. Ledo engano.

Eu simplesmente não consegui migrar para a Oi. Isso mesmo. Entrar na Oi (onde eu já estava) foi impossível. Na hora de efetuar meu cadastro, diziam que havia incompatibilidade nos meus dados. Não consigo bem explicar, pois já era cliente Oi fixo desde a época de Teleceará (é o novo!). Pagava com débito em conta (parece que é esse o problema. Na próxima operadora não cometo mais esse erro).

A loja não conseguiu resolver a incompatibilidade. Disseram-me que me ligariam para tentar resolver. Expliquei que seria difícil me contactar, pois meu móvel era péssimo (razão pela qual decidi mudar). Diziam-me para ficar tranquilo.

O fato é que infelizmente eu estava certo. Não conseguiram resolver, embora tenha dado mais duas viagens à loja e tenha ligado outras tantas vezes. Detalhe, quando ia a loja tinha que ter a sorte de ir no horário do cidadão que me atendeu. Os outros não sabiam de nada. Incrível! Meu negócio era com o fulano, não era com a Oi.

Não consegui entrar onde já estava dentro! Resultado. Saí de vez da Oi. Levei o fixo também para outra operadora. O pior é que já estou sofrendo de novo. Conto já o que aconteceu com a VIVO. Será que vai sobrar alguém para contar a história?